Atenção Básica

SETOR PÚBLICO

  • Elaboração dos Projetos de Implantação, após análise situacional inicial, com o      levantamento dos pontos fracos e fortes da Atenção Básica local.

  • Gestão Administrativa, Assistencial, Logística e Financeira de todos os componentes da Atenção Básica.

  • Consolidação da Atenção Básica como centro de comunicação com toda a Rede de Saúde, orientada pelos princípios:

    • Universalidade

    • Acessibilidade

    • Vínculo

    • Continuidade do cuidado

    • Integralidade da atenção

    • Responsabilização

    • Humanização

    • Equidade

    • Participação social

  • Efetivação da atenção básica como porta de entrada preferencial para o sistema de saúde, com atendimento integrado e multiprofissional;

  • Priorização de atendimentos por níveis crescentes de complexidade, conforme as necessidades de cada população;

  • Elaboração ou Revisão de processos de trabalho, reestruturação e qualificação da atenção básica da Rede;

  • Diminuição da sobrecarga das portas de urgência e emergência;

  • Facilitação de acesso às consultas e procedimentos eletivos nas especialidades;

  • Padronização de protocolos clínicos de acordo com os agravos de maior relevância em cada região;

  • Implantação de equipes de apoio e supervisão técnica, com parâmetros e atribuições, claramente definidos;

  • Implantação de equipe de educação permanente;

  • Encaminhamento para os serviços de referências, das crianças, idosos e munícipes cadastrados na atenção básica, por tempo de cadastro e grau de risco;

  • Serviço médico integrado de acordo com as necessidades da população, com agenda aberta;

  • Valorização dos colaboradores de acordo com metas e indicadores.

Gestão Hospitalar

  • Equipe multidisciplinar treinada e envolvida na gestão hospitalar;

  • Elaboração de Planejamento estratégico para garantir o processo decisório e a sustentabilidade econômica da instituição;

  • Gestão de Processos Hospitalares com elaboração de Procedimentos Operacionais (POPs) em todos os setores, monitorização dos processos e análise de resultados;

  • Gestão própria na compra de materiais médicos e medicamentos através de ata de registro de preços (COPEL);

  • Capacitação em gestão da assistência farmacêutica;

  • Adequação ou elaboração de protocolos clínicos e farmacêuticos padronizados;

  • Definição de lista padronizada de medicamentos atrelada aos protocolos clínicos;

  • Realização de estudos sobre a quantidade ideal de exames segundo os equipamentos disponíveis e parâmetros populacionais. O objetivo é atingir a melhor relação custo-benefício do laboratório. Não está descartada a possibilidade de realização de exames em outros serviços ou municípios, mediante parcerias;

  • Prestação de serviços de Exames de Imagem via terceirização ou através da contratação de profissionais especializados, conforme o caso;

  • Garantia de acesso aos serviços de referência regional;